Os Heróis da linha de frente

Em tempos de guerra, sempre esperamos que super-heróis assumam o controle para nos salvar do perigo. Em tempos de pandemia, os heróis são evidentes: os profissionais da saúde que lutam diariamente contra um inimigo invisível. Vestidos dos equipamentos de segurança e com suas bases de operação localizadas nos hospitais e unidades de saúde, a coragem, a sensibilidade e a força têm sido seus principais superpoderes.


Buscando métodos eficazes para diminuir o problema ou sendo suporte dos que precisam de cuidados, esses profissionais se colocam frente aos riscos em prol da sociedade. Mais do que nunca, se apresentam como protagonistas, promovendo a vida e o bem-estar das pessoas em meio a uma grande crise de saúde.


Os desafios não são poucos: alto risco de contaminação, carga excessiva de trabalho e inúmeras incertezas. Além disso, muitos escolheram se afastar de seus familiares para poupá-los dos riscos da exposição ao vírus. Em depoimento, uma enfermeira de um hospital público de Minas Gerais afirmou que “cada dia de plantão é um desafio novo e diferente do que fomos treinados durante os anos de estudos”. A profissional continua dizendo que “apesar do medo e da incerteza que sentimos todos os dias, o que nos impulsiona é a certeza da importância que temos neste momento para que tudo fique bem”.


O cenário caótico despertou, inclusive, uma preocupação com a saúde mental dos profissionais envolvidos e se tornou alvo de pesquisas de órgãos como a USP, que elaborou um formulário a fim de saber do estado de saúde mental dos que ocupam a linha de frente, especificamente da área de enfermagem, além de indicar sites de ajuda psicológica. Sobre o desgaste emocional, a enfermeira desabafa que “nunca tivemos tanta vontade de estar em casa, mas permacemos”. Alega ainda que “aqueles que infelizmente partem deixam o lembrete de que a luta é séria.” Segundo a profissional, eles cultivam a certeza de que “cada paciente é o amor de alguém, não um número, ninguém é estatística”.


Com todos os olhares voltados para esses profissionais devido às necessidades urgentes, ela conta que nunca foram tão valorizados e homenageados. “Nossa dor e luta diária nunca possuiu uma voz e holofote tão grande”, relata. Em contrapartida, o foco dos médicos e enfermeiros são os bons resultados de seus pacientes. “Não se trata apenas de nós, mas de cada paciente que volta para agradecer, se despedir e dizer que vai pra casa”.


Vivemos uma fase difícil, e talvez o maior desafio de nossa geração. Felizmente, os profissionais da saúde, com seus feitos heroicos, nos mostram todos os dias que ainda há esperança apesar da turbulência. Super-heróis cheios de humanidade, eles temem, mas continuam, com um lema: “São tempos muito difíceis, mas é preciso que as pessoas saibam que estamos, sobretudo, FIRMES”.

Por: Layane Almeida



FONTE:

Pesquisa avalia saúde mental dos profissionais da saúde. Jornal da USP, 2020. Disponível em: <https://jornal.usp.br/universidade/pesquisa-avalia-saude-mental-dos-profissionais-de-enfermagem-durante-a-pandemia/>. Acesso em: 17, mai e 2020.

39 visualizações0 comentário

Politicas OMSA

Suporte

Cadastro OMSA

ATENÇÃO
Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br . Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.

Organização Multidisciplinar de Saúde Aplicada

29.900.423/0001-40

Jaguariúna - SP