Reflexões da quarentena, onde estava o cuidado, e como estamos nos cuidando?


Estamos em época de viver “para dentro”, de casa, dos detalhes, das curvas e rugas nossas e do bem próximo… para dentro de nós. Pode ser difícil no começo, depende dos monstros que carrega, mas é dentro que existe toda a essência, força, energia, vida, ação. É tempo de enfrentamento, de cuidar do não visto, de tocar o existente não visível que pode estar esquecido, o Cuidado. Cuidar é ter cuidado, é tomar uma ação para preservar, é dar atenção, reparar o que não está bom, é olhar para o que é sentido e abraçá-lo. No dicionário, cuidado: “meditar com ponderação; cogitar, pensar, ponderar, reparar, atentar para, prestar atenção em”. Desde que iniciou a quarentena, pude cuidar melhor delas, as plantas, que todos os dias, assim como nós, lutam para manter-se vivas, mas que dependem do nosso Cuidado. Ficar em casa vem sendo um ato de cuidado, comigo, o outro, o próximo, os profissionais da saúde, a sociedade, e principalmente com quem está dentro de casa. Exemplifico as plantas, essas da foto, reparo que o cuidado com elas passou a ser 3x por dia e não mais 1… e qual o resultado? Elas nunca foram tão frutíferas, cheias de sulco em suas frutas, verdes e vivas… O que mudou? O Cuidado dedicado, diário, com atenção, retirada das folhas mortas, o alimento água algumas vezes no dia, um olhar atento às necessidades delas, uma ação de Cuidar. Cuidar de si, da saúde, resulta em bem-estar, que se replica ao próximo. Escutar-se com atenção e carinho é cuidado, é cuidar das folhas velhas e mortas, retirar, limpar, molhar mais vezes, tocar a terra, trocar, limpar, conversar, enfim realizar a manutenção cuidadosa. As plantas vem simbolizando a importância daqueles detalhes que na correria do dia-a-dia acabam passando despercebidos, porém, são os detalhes que fazem toda a diferença, não são menos por serem “detalhes”, são maiores por justamente fazerem a diferença. Cuidar com carinho não é um mero detalhe, é o detalhe que faz a diferença, é o que faz diferente as relações importantes das demais relações. Canta Roberto Carlos “detalhes tão pequenos de nós dois, são coisas muito grandes pra esquecer…” O cuidado é adubo das relações. Os filmes “Beleza Oculta” e “O jardim secreto” trazem alguns elementos em comum, que assim como as plantas, inspiraram essa reflexão: Tempo, Amor e Morte. A vida tem no mínimo esses três elementos, que coexistem a todo instante conosco: O tempo é necessário para lidar com o amor e a morte, é no espaço de tempo que aplicamos energia para investir no amor e superar a morte, para cuidar do velho e plantar novas sementes, para Cuidar, viver. A morte, ciclo natural que ocorre a todo instante, em sentimentos, plantas, frutos, folhas, relações, pessoas, significados… é inevitável, dói, mas o onde cria-se espaço para o novo. O Amor… este que nem os poetas conseguem entrar em consenso do que é, mas que todos sentem… ele pode mover a fazer, a viver, a sorrir, a lutar, superar sofrimentos intensos, pode trazer paz e sentimento de felicidade, talvez porque nos faça sentir que não estamos sozinhos e passamos a desejar Cuidar para que ele seja preservado, e o prazer de cuidar e ser cuidado nos mantém vivos. Ambos filmes também dizem claramente: "olhe na direção certa e tudo mudará para sempre…" e refletindo penso agora: Olhar na direção daquilo que é importante para cada um, pode fazer seu coração sorrir, trazer sentido à vida, e sua percepção do mundo, mudará… e mais uma vez, observar os pequenos detalhes como as folhas amareladas que precisam ser retiradas, a falta de água, a ausência de carinho, a conversa, o toque, são elementos de uma relação que se não houver cuidado constante, diário… as folhas velhas consomem energia, alimento, e impedem o desenvolvimento do novo e belo, é o cuidado com os detalhes que faz a diferença. Quando saírmos dessa quarentena, levemos conosco este e outros aprendizados de cada um, que sempre deve haver um tempo para cuidar de si, das relações, dos próximos, do todo, e dos detalhes, e que não é o tempo que queremos aplicar que faz a diferença, é o tempo necessário verdadeiro de cada atividade exige que faz esta ter significado. Um dia saiu na brincadeira com amigos: vivo porque estou vivo…. Sim, viver cada instante só é possível para quem está vivo, de corpo, alma e coração, e cuidar é parte do viver da vida. Cuidemo-nos, para que seja sempre possível continuar vivos, e vivendo, com cuidado, atenção, e carinho.

46 visualizações0 comentário

Politicas OMSA

Suporte

Cadastro OMSA

ATENÇÃO
Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br . Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.

Organização Multidisciplinar de Saúde Aplicada

29.900.423/0001-40

Jaguariúna - SP